Liberdade condicional.

Me sinto como os escravos de ganho que tem apenas uma certa liberdade. Ou ainda como os presos que podem sair da penitenciária para trabalhar durante o dia. Na última sexta- feira minha "liberdade condicional"  foi expedida. Após quase cinco meses sem correr ela enfim foi autorizada.
Fui  ao médico que cuida da Dayane dos Santos e ele disse que a condromalacia dos joelhos é um mero defeito de fabricação e que as corridas não são responsáveis por isso.
Explicou também que as fraturas por estres em nada tem haver com meu cálcio que está bem deficitário e sim com os treinos. Treinos estes que para muitos podem não ser nada, mas que para meu corpo podem ser demais.
Após uma hora de consulta ele receitou dois meses de anti-inflamatório e me encaminhou para uma fisiologista. Pois para ele se eu quiser correr com saúde tenho que investigar Ele disse que tenho que investigar e respeitar os limites do meu corpo.
E quais são eles? Isso que dirá será a fisiologista.

Então eu posso correr, mas ainda não! rsrsrsrsrs

5 comentários:

  1. Abaixo as condromalacias e fascites plantares (meu bem, meu mal). Liberdade JÀ pra nós corredores... rsss... Ai ai, se passeata adianta-se, né Dani, estariamos realmente libertos desses males. Mas vamos caminhando (ou trotando) rumo à soluções saudáveis. #GoAhead

    Bjs

    Everton Domingues
    www.passadasfirmes.blogspot.com
    @tatolimpico

    ResponderExcluir
  2. Eu te disse, não te disse!!!
    Era uma questão de tempo e que você voltaria a correr...
    Agora falta você rever algumas decisões e voltar a compartilhar de momentos especiais com quem gosta muito de ti e que batalha pelos mesmos objetivos e ideais!!!
    Pense nisso...

    ResponderExcluir
  3. Eu estou completando um ano com probleminhas aqui, probleminhas lá. Como tenho 47 anos, um pouco de treino a mais me derruba. Então comparo sua experiência com a minha. Passei a observar muito o resultado sobre cada dia de academia, natação e corrida. Ao menor sinal de dor, mudo de estratégia (mais fraco por uns dias ou trocando de aparelhos por outros dias). Na verdade passei a correr menos (praticamente só nas provas uma ou duas por mês) e a malhar mais. E, surpreendentemente, correndo menos sumiram as fraturas por stress e outras dores e passei a melhorar minha performance nas provas, usando como método apenas a esteira. Ao contrário do que todo mundo diz que devemos treinar corrida pelo menos treês vezes por semana, correr menos está me dando mais resultado. E seu ortopedista está cheio de razão: somente você tem que enxergar o que acontece com seu corpo. Avançar e regredir semena a semana com bom senso. Somos como plantas: água, sol e nutrientes é indispensável para elas, mas água, sol e nutrientes demais podema matá-las.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ....mas não fique anonimo...rsrs

      Excluir
  4. Oi dani. Passando pelo blog agora... Estou desde abril sem correr e ha oito meses cuidando d condromalacia e inflamaçao no periosteo... Nao é nada facil essa fase. Mas exercitando a paciencia tudo fica menos doloroso.

    Ab
    @danivalmaro
    www.runningnews.com.br
    Blogs: run dani run

    ResponderExcluir